sexta-feira, 18 de outubro de 2019

Gibi de Menininha


Caso o leitor seja muito distraído, e não repare na riqueza de detalhes da perturbadora e incrível capa de Gibi de Menininha, e fique achando pelo título de que se trata de algo estilo “chicklit” (e seja tão distraído a ponto de perder o subtítulo “Historietas de Terror e Putaria”), o prefácio assinado pela apresentadora Dane Taranha já deixa claro o tom da obra. Entre as frases do texto destaco:

Não se pode confiar em um ser que sangra por cinco dias e não morre.

Belas, recatadas, do lar e, ao mesmo tempo, vingativas e cruéis. Somos a tentação, a luxúrua, a loucura. O pecado. Tentaram nos queimar, mas somos o fogo!

Não confie. Você não tem ideia do que somos capazes.

E de fato, as talentosas quadrinistas responsáveis pelas historietas produziram tramas arrepiantes, sensuais e bem divertidas, o que valeu para Gibi de Menininha o merecido título de Melhor Lançamento no Troféu Angelo Agostini de 2019. Por sinal, viram a cobertura que fizemos desse ótimo evento para o programa Corujice Pop?

Corujice Pop - EP. 2 - PARTE 1


Corujice Pop - EP. 2 - PARTE 2


Além disso, em 15 de setembro último Gibi de Menininha e suas autoras receberam o Troféu HQMIX na categoria Publicação Mix, bem merecido, parabéns, meninas!

Mas enfim, falemos, ou melhor, escrevamos a respeito de Gibi de Menininha! Uma das coisas que mais gostei foi que cada historieta (sim, de Terror e Putaria) é apresentada por uma hostess, a sensual Mama Jellybean! “Por Eras e Eras te amarei”, com roteiro de Carol Pimentel e Roberta Cirne e arte também de Roberta Cirne, começa em uma festa, quando um rapaz loiro é seduzido por um moreno de longos cabelos, que o leva em uma noite inesquecível de todos os prazeres. Porém, o moreno é um vampiro, e a forma como ele mantém sua paixão pelo loiro é bastante possessiva, para dizer o mínimo!


“Fome” tem roteiro de Clarice França e arte de Mari Santtos, e poderia ser uma típica história de amor entre um jovem casal, não fosse a desafortunada ocasião em que a garota foi mordida por um vampiro. Seu amado faz de tudo para que eles se adaptem à nova condição, mas a fome dela não para de aumentar. Penso que ele merecia um prêmio melhor por sua dedicação ao final... Hehehehe, brincadeira, adorei a história, nada de vampiros “fadinhas que brilham” aqui!


A próxima história envolve sereias, mas esqueçam a Ariel! Com roteiro de Germana Viana e arte de Renata C B Lzz, “Para Sempre (ou um marinheiro que me contou)” é uma história de vingança contra um relacionamento proibido entre uma sereia e um humano. As irmãs da sereia tramam um plano, estando avisadas por um poder superior que ninguém pode sobreviver no reino do humano. Mas será que tudo transcorrerá conforme elas planejaram?

Uma trama horripilante e fantástica é “A última comitiva”, cujo roteiro é de Ana Carolina Recalde Gomes e arte de Talessa Kuguimiya. Peões de uma fazenda não estão satisfeitos por terem recebido ordens para levar o filho do patrão, considerado jovem e inexperiente, em sua comitiva. Eles param em uma fazenda aparentemente abandonada, e enquanto o jovem é seduzido por uma bela mulher (e como em outras partes de Gibi de Menininha as aparências enganam), somos apresentados a uma realidade chocante e macabra.


“Doce Inocência” é a história a seguir, e seu roteiro foi assinado por Milena Azevedo, enquanto a arte por Katia Schittine e Fabiana Signorini. Em um bairro tranquilo crianças brincam na rua, quando são subitamente atraídas pelo cheiro irresistível vindo da casa de um vizinho. O gentil senhor as convida a entrar e comer os bolos e doces que preparou. Nisso, reparamos em um calendário na parede, mostrando que aquele dia é a terceira sexta-feira 13 do ano. E o olhar do homem indica que, virando a página, mais horrores nos aguardam. Cuidado ao aceitar doces de estranhos, sua mãe nunca te disse isso?

O livro se encerra com “Amarrados”, que tem roteiro de Camila Suzuki e arte de Germana Viana. Clarinha gosta de Marcelo, com quem trabalha, mas certo dia ao chegar na empresa fica arrasada com o anúncio de que o rapaz ficou noivo de outra moça. Voltando para casa ela se depara com a senhora Virginia, que a convida para seu apartamento número 66, no 6º andar, e promete que seus dotes de união de casais, matéria no qual é especialista, podem ajudar a garota. Por um tempo Clarinha tem a vida que pediu a Deus, com Marcelo literalmente a seus pés... mas certamente esse pedido não foi atendido por Deus. Sim, aquela amarração do amor é mesmo, de uma forma muito macabra, para sempre!


Gibi de Menininha reúne um conjunto de histórias surpreendentes, sensuais, terríveis e sensacionais, e o sucesso do livro é mérito da qualidade do trabalho de todas as autoras envolvidas. A obra foi financiada através do Catarse, onde já se encontra Gibi de Menininha 2. Fiquei curioso pela futura edição trazer a historieta Mama Jellybean – Origens, e também por mais materiais da sensual hostess da série, entre os quais:

Os Catecismos de Mama Jellybean - Minha Vida no Convento

Os Catecismos de Mama Jellybean - Manual Legal do Sexo Oral

Se quiser saber mais sobre Mama Jellybean e a arte de Germana Viana, confira o Instagram dela.

Gibi de Menininha é mais um exemplo da enorme diversidade dos quadrinhos brasileiros, e também do talento de nossas e nossos quadrinistas!

Nenhum comentário:

Postar um comentário