terça-feira, 21 de julho de 2015

ESPECIAL QUADRINHOS: Entrevista Juvêncio Veloso - Lady Garça




 
O metalúrgico de 52 anos, Juvêncio Hilário Veloso participou ativamente do movimento fanzineiros na década de 1980 e publicou tiras diárias no Jornal o Valeparaibano  (O Vale)

Contatos:





1.                     Como e quando você começou a se interessar pelas HQs?
 
Costumo dizer que meu interesse por Quadrinhos começou muito antes de conhecer HQs . Morava num sítio no interior do Paraná e meu pai trazia da cidadezinha próxima, aqueles almanaques que eram distribuídos nas farmácias e eu viajava naquelas poucas ilustrações isso tudo antes de ser alfabetizado. Na escola novas descobertas a própria cartilha Caminho Suave  abria novos caminhos depois vieram novos livros didáticos com muita ilustrações descobri também as bibliotecas da escolas com os grandes clássicos da literatura mundial ricamente ilustrados.

2.                     Lembra qual foi o primeiro quadrinho que te cativou?

Até hoje continuo sendo cativado pelos Quadrinhos... Ainda na escola  quase rural um amiguinho apareceu com um gibi acho que era um Almanaque Disney foi fascinante a descoberta dos Quadrinhos propriamente dito colorido com balões e todas suas possibilidades. Continuei sendo cativado a cada nova descobertas  veio Superargo o primeiro Super Herói  que conheci. As descobertas vinham aos pouco pois o lugar era meio afastado das cidades mas isso foi bom que deu para saborear muito cada gibi que caia em minhas mãos. A antiga revistinha Recreio também abriu um mundo mágico e continuei sendo cativado Poe Tarzan, Batman, homem Aranha. Veio também a descoberta dos Quadrinhos Nacionais! O Palhaço Sacarrolha, Gabola o Macaquinho que queria ser gente, Monica e sua turma...

 
 












 3.                     Como os quadrinhos influenciaram sua vida?

Pergunta difícil esta! Acho que os valores defendidos pelos heróis HONESTIDADE, LEALDADE, PERSEVERANÇA... 
“ Penso que todos nós construímos nossa vida baseada em heróis. Não importa quantos sofisticados se é, Todos precisam se identificar com alguém que se respeita, alguém que talvez nem possa ser igualado, mas que gostaríamos de igualar.”             Chester Gould (Criador de Dick Tracy)
É isso a inspiração dos heróis deve ter feito eu ser um ser humano um pouco melhor!


4.                     Na hora de ler, qual gênero de HQ prefere?

Nunca pensei sobre isso como cresci lendo o que caia em minhas mãos tudo me encantava. Acho que as tiras cômicas pelo poder de síntese. Isso também pode ter outra explicação minha complicada relação com a Língua Portuguesa e suas regras sou um caso perdido nunca vou aprender este nosso idioma. 



5.                     Qual seu quadrinho favorito? Por quê?

Não tenho um quadrinho preferido tenho os que foram preferido em alguma fase da vida, o Tarzan na fase de bicho solto lá na roça (cheguei a quebrar o braço tem uma queda de cipó) o homem Aranha e seus conflitos em outra fase...

6.                     Como surgiu a Dona Garça?




Lady Garça! Please. (RINDO)


Os personagens eu acredito ficam hibernando dentro de nós numa gestação que pode levar anos e de
repente eles nascem. Com LG foi assim, sua primeira aparição foi em uma outra série de tirinha Polhas 
era apenas uma garça que ia aparecer apenas em 3  tirinhas... Era ela tomou conta de tudo e de 
coadjuvante tornou meu principal personagem numa galeria de mais de trinta.









7.                     Onde busca inspiração para criar?

Inspiro nos amigos, televisão, leituras, filhos,gosto de brincar com velhos clichês e frases feitas, musica também inspiram muito. A Garça por exemplo tem muita inspiração nas mulheres blogueiras e suas elevadas auto estima e alegria e fisicamente em uma sobrinha magrela claro que tem outras influência que aos poucos vamos descobrindo ...

8.                     Na hora de trabalhar/criar, tem alguma mania?

Pelo fato de não ter uma obrigação profissional de não desenvolvi nenhuma mania ou rotina de trabalho. Apenas costumo anotar a ideia em qualquer papel que esteja disponível ideia é um bichinho para fugir!Já tive muita inspiração comentando nas Redes Sociais. Gosto desta interação com as pessoas é altamente inspirador  e gratificante.

9.                     Existe algum tema que se recusaria a usar nos seus trabalhos? Por quê?

Tema não. A forma de abordar sim! Tem que estar de acordos com meus valores e crenças!Fiz uma opção por um trabalho mais Família apesar de não suportar a ditadura do politicamente correto e ser totalmente contra toda forma de censura.

10.                  O que vem por aí?

Deixa a vida nos levar vida leva eu... Não tenho e não costumo fazer muito plano. Talvez qualquer dia
uma edição impressa com algumas tirinhas como um agradecimento a todos caminham junto  nesta longa 
avenida!


11.                  Algum recado para os leitores?
 
Aproveitem o dia! Um abraço e obrigado a todos pelo generoso carinho com meu trabalho.

3 comentários:

  1. Muito bom!! Parabéns Juvêncio Veloso, parabéns Márcia Lins e Corujise Literária!!

    ResponderExcluir
  2. Minha maior admiração pelo talento e trabalho!

    ResponderExcluir