sexta-feira, 20 de setembro de 2019

The Art of the Brick - DC Super Heroes

Tivemos a oportunidade nesta última quinta-feira, 19 de setembro, junto a outros membros da imprensa, de conferir em primeira mão a exposição The Art of the Brick: DC Super Heroes na Oca, no Parque do Ibirapuera. A mostra tem seu início marcado para 20 de setembro e deve seguir até novembro, e se eu fosse os caros leitores, aproveitaria e iria conferir!


Depois de descer a rampa da Oca fomos brindados com um excelente brunch (o pão de queijo, os croissants, as esfihas e as carolinas de limão estavam ótimos!), e conferimos rápidas declarações do artista responsável pelas obras, Nathan Sawaya. Atuando como advogado corporativo em Nova York, ele descobriu as peças de Lego em 2002 como forma de combater o estresse. Logo estava criando todo tipo de esculturas, e não demorou para ser reconhecido como um artista. Ele na verdade é considerado o primeiro escultor a levar as peças de Lego para o mundo da arte, e inclusive foi agraciado com o Unique Awards em 2011, que premia artistas que realizam trabalhos não convencionais.

No próprio salão onde o brunch era servido havia várias miniaturas expostas, e eu quero muito aquela Bat-Caverna! Detalhada como somente os kits Lego conseguem ser, vemos o Batmóvel, o Batman, Robin e variados elementos. Outra caixa de vidro abrigava o apartamento do Flash, com o herói apressadinho jogando pingue-pongue consigo mesmo. Sets do Aquaman e do Ciborgue completavam esse aperitivo da mostra, antes da grande atração desse local: o Coringa em tamanho natural, sentado em uma poltrona e com um balde de pipoca!

É claro que formou fila para bater fotos, ainda mais com a segunda poltrona vazia ao lado. Foi ótimo!


Continuando, no salão seguinte um telão passava vídeos de Natham Sawaya, e finalmente fomos convidados para iniciar a excursão através da exposição!

A primeira obra é um boneco amarelo, construído do peito para cima, abrindo o peito e deixando cair uma torrente de Legos. Será o Coringa, com aquela máscara? Com as paredes forradas por páginas em preto e branco dos quadrinhos da DC Comics, a sala exibe ao centro prateleiras com os personagens dessa casa quadrinística com pouco mais de 90 cm de altura. Ao lado dos mais conhecidos, como a Trindade formada por Batman, Mulher-Maravilha e Superman, há outros como Caçador de Marte, Besouro Azul, Gavião Negro e Star Girl. Aquaman, Ciborgue, Zatanna também estão lá, além de Robin, Asa Noturna e Batgirl (minha primeira crush entre as super-heroínas, graças à maravilhosa Yvonne Craig na série do Batman de 1966, ai, ai...).


Mas as grandes atrações mesmo estão próximo às paredes. Entre outras temos o cetro do Aquaman, uma Lanterna Verde, a icônica imagem da Action Comics 1, e a da estreia da Liga da Justiça contra Starro. Vale muito a pena passar um tempo observando os detalhes de todas essas! Destaque vai mesmo para o Flash, cuja sensação de velocidade é impressionante!


Na sala seguinte, Ícones, os heróis são apresentados de forma mais minimalista, suas figuras concentradas em uma ou poucas cores de destaque. E um detalhe precioso, prestem atenção nas paredes, onde balões de diálogo como os vemos nos quadrinhos trazem frases de artistas, personagens e outros. Um dos que vale destacar é:

“A aventura bem-sucedida do herói é desbloquear e liberar novamente o fluxo da vida no corpo do mundo”. Joseph Campbell, O Herói de Mil Faces.

E sim, não importa o mimimi de uns e outros, TODA história pode ser encaixada na Jornada do Herói.


A sala seguinte, toda azul, é do Superman. E são sensacionais as obras de Nathan Sawaya nesta, como em todas as demais! O herói como um anjo, com os olhos em vermelho pronto a lançar seus raios, e nossa preferida foi a pose em voo, com peças de Lego saindo da capa!

Construindo um Herói, a fase seguinte da exposição, tem peças mais minimalistas, e adoramos um boneco em pose de herói com capa esvoaçante, identificado pela placa como O Herói de Dentro de Você. Irresistível para fotos, sensacional!


Themyscira, claro, é a área da Mulher-Maravilha, e de todas as belas esculturas o maior destaque é o Avião Invisível! É lindo como seu aspecto muda conforme o ângulo, arte digna de passar um bom tempo indo para lá e para cá e admirando cada detalhe. DC Light tem um enfoque mais humorístico, com destaque para Aquaman na banheira e com um pato de borracha, e a presença de Krypto, o Super-Cão! Além, claro, do magnífico Batmóvel da série de 1966, baseado no concept car Lincoln Futura, com mais de 1,60 m de comprimento e formado por 23.166 peças, deu vontade de trazer para casa...


DC Dark, a sala seguinte, tem uma galeria de vilões do Batman, com destaque para o Coringa, claro, e um grande quadro formado por uma reprodução em Lego da clássica capa da ainda mais clássica A Piada Mortal. Precisa escrever mais alguma coisa?


Sala da Justiça exibe vários heróis da Liga em variados formatos, e finalmente chegamos ao grande destaque da mostra, porque afinal todos sabemos que é o maioral, não é mesmo? Intitulada Gotham, a sala tem gárgulas, uma parede formando o panorama da cidade do Morcego, capuzes, o Bat-Sinal, uma linda escultura com o tema da Detective Comics 27 (que você que está lendo deveria saber que é a edição de maio de 1939 que marcou a estreia do Batman!), e o próprio Cavaleiro das Trevas ameaçador diante do painel de Gotham.


Um pequeno túnel, guardado pelas gárgulas, dá passagem para a maior peça da mostra, o Batmóvel! Com mais de 5,5 metros de comprimento, formado por quase 490.000 peças, é simplesmente maravilhoso! Vale sim dar voltas e mais voltas em torno dele admirando cada detalhe. Obra de arte sem dúvida!


Por fim, lamentando que o tempo sempre passa mais depressa quando estamos nos divertindo, tomamos o rumo da saída, para uma área de interatividade onde se pode brincar com as peças de Lego, e claro, visitar a loja da exposição. Vale pesquisar os preços, pois tem muitas coisas legais, incluindo o livro oficial da The Art of the Brick: DC Super Heroes.

Gostaríamos de agradecer à assessoria de imprensa da exposição, aos organizadores desta visita sensacional, a todos que tornaram essa mostra possível, e ao próprio Nathan Sawaya. Mais uma prova de que a arte pode ser linda e instigante, nos entusiasmar e fazer pensar. E acima de tudo, absolutamente livre. Nosso conselho: não se atreva a perder!

Seriados da TV in Concert - Teatro UMC

Estivemos mais uma vez no Teatro UMC no domingo, 15 de setembro, desta vez para conferir Seriados da TV in Concert. A apresentação, assim como a do Tributo a Stan Lee, foi da Banda Sinfônica Villa Lobos, regida como sempre de forma magistral pelo maestro Ederlei Lirussi.


Já na abertura fomos brindados com o tema de Havaí Cinco-0 (todos os seriados, diga-se de passagem, são os clássicos, não as eventuais novas versões). O maestro Ederlei a seguir fez as costumeiras apresentações, e trouxe também a primeira intervenção do jornalista Marcelo Duarte. As brincadeiras e perguntas e respostas com pessoas da plateia foram entremeadas com os blocos da apresentação.

A seguir a audiência se deliciou com o tema de Os Três Patetas, e assim como em todos os demais temas apresentados, no telão do teatro eram apresentadas as aberturas ou cenas das séries.

Os nerds presentes deliraram a seguir com a Sessão Espacial, trazendo os maiores clássicos da ficção científica: o tema de Jornada nas Estrelas Série Clássica e de Perdidos no Espaço! Desnecessário descrever a emoção que todos sentimos! O mastro Ederlei fez uma pausa a seguir para mais brincadeiras com Marcelo Duarte, e anunciou que pela primeira vez seriam apresentados no Brasil por uma orquestra todos os temas da série Ultraseven.

Foi demais!

A sessão seguinte foi dedicada à Magia, e na brincadeira que aconteceu antes se descobriu uma moça na plateia cujo nome era Tabatha precisamente porque sua mãe adorava a série da Feiticeira. Dá um sentimento de esperança gostoso ver como isso é frequente, não é? Essa parte começou com Família Addams, e foi divertidíssimo ver como o maestro Ederlei regia não somente os músicos mas também a plateia, comandando o momento em que todos estalavam os dedos acompanhando a música! A Feiticeira e Jeannie é um Gênio encerraram o bloco.

Heróis da TV foi outro delírio, com os temas das clássicas séries do Batman, Hulk e Mulher-Maravilha. Não há palavras para a emoção de ouvir essas músicas sendo tocada ao vivo pelos talentosos músicos da Banda Sinfônica Villa Lobos, somente um muito obrigado!

Em Seriados Atuais os temas foram de Arquivo-X, Two and a Half Men, Friends e Game of Thrones. Claro que este excer de carteirinha amou demais ver o tema tocado por uma orquestra. FOI DEMAIS! Claro que só faltou levantarmos das cadeiras para dançar o tema de Friends, e o de Game of Thrones me surpreendeu, um arranjo belíssimo que se revelou tão épico quanto a série.

Sessão Policial, o bloco a seguir, trouxe Agente 86, e o Marcelo Duarte voltou para explicar que 86, em certos bares lá nos Estados Unidos, é um código usado entre os funcionários para identificar quando algum frequentador bebeu demais. Uma brincadeira, claro, com o sempre atrapalhado espião Maxwell Smart. Outro tema clássico veio com Missão Impossível, de encher os olhos e ouvidos!

A apresentação se encerrou com o tema sinfônico de The Big Bang Theory, mais uma estreia da noite! E claro que teve bis! Marcelo Duarte explicou que atualmente o bis é para músicas mais conhecidas de um artista ou grupo, mas que no caso deles é realmente um bis, tocar novamente uma música já interpretada. E o tema contagiante de Havaí Cinco-0. Como em todas as músicas a Banda Sinfônica Villa Lobos foi muito aplaudida, encerrando uma noite muito especial e divertida.

  Faço minhas as palavras de Marcelo Duarte, que elogiou a direção do Teatro UMC por torná-lo um autêntico templo nerd com as apresentações da orquestra regida pelo maestro Ederlei Lirussi. Só temos agradecer a todos eles pelos momentos sensacionais e inesquecíveis que vivemos em mais essa apresentação, e recomendar a todos que busquem a programação do Teatro UMC, pois os espetáculos estão imperdíveis.

E no próximo domingo voltaremos lá, pois o tema da apresentação será o Melhor de John Williams! “Só” o cara que compôs os temas de, entre outros, Star Wars, Superman, Indiana Jones, ET... vai perder? Nós não!

terça-feira, 10 de setembro de 2019

Tributo a Stan Lee - Teatro UMC

TEATRO UMC PROMOVE AINDA ESTE ANO MAIS ALGUMAS APRESENTAÇÕES EM TRIBUTO A STAN LEE DIAS 27/10 E 23/11


“Através da honestidade de caras como o Homem-Aranha, aprendi sobre os tons de cinza na natureza humana.” (Gene Simmons, da banda Kiss).



Stan Lee, o lendário escritor, editor da Marvel Comics, cujas fantásticas criações fizeram dele um super-herói da vida real para os amantes de quadrinhos em todos o globo terrestre, morreu. Ele tinha 95 anos.
O escritor e editor incansável foi responsável por personagens icônicos que encantaram e encantam do avô ao neto em uma mesma família.
Lee, assim como Hitchcock, gostava de fazer “pontas” nos filmes de seus heróis. Em Homem Aranha 3 (2007), ele conversa com Peter Parker, vivido por Tobey Maguire, ao parar em uma rua da Times Square. “Você sabe”, disse ele, “acho que uma pessoa pode fazer a diferença …”
Sim, Stan Lee fez a diferença!

REPERTÓRIO 
(Não será necessariamente na ordem descrita)
  1. Doutor Estranho
  2. Homem Aranha
  3. Homem de Ferro
  4. X-Men
  5. Thor
  6. Batman
  7. Superman
  8. Capitão América
  9. Homem Formiga
  10. Vingadores
  11. Pantera Negra
  12. Guardiões da Galáxia

GÊNERO: Instrumental
CLASSIFICAÇÃO: Livre
DURAÇÃO: 90 Minutos
DATA: 25 de Agosto às 20h / 27 de Outubro às 20h / 23 de Novembro às 21h
INGRESSOS: R$ 60,00 (Inteira) / R$ 30,00 (Meia)
LOCAL: Teatro UMC – Av. Imperatriz Leopoldina, 550, São Paulo – SP.
BILHETERIA: (11) 2574-7749
VENDAS ONLINE: ingressos.teatroumc.com.br

quinta-feira, 5 de setembro de 2019

Queen Live Kids no Teatro UMC

Um verdadeiro show de Rock and Roll para crianças (que os papais e mamães amam!)


O espetáculo resgata as músicas de um dos maiores grupos de rock da história e exibe um show que diverte todas as gerações. Contação de histórias, animações e outras surpresas também prometem encantar a criançada.
Que tal apresentar aos pequenos os clássicos que encantaram gerações de uma das bandas mais famosas do rock and roll internacional?

O projeto Queen Live Kids – um show de rock para crianças é uma apresentação recheada com os maiores sucessos do quarteto inglês que conquistou o mundo com suas performances, rocks, ao mesmo tempo, pesados e melódicos e canções inesquecíveis.

Com arranjos originais do grupo inglês, o repertório levado ao público engloba os principais hits do Queen, como We will Rock You, Somebody too love, Under Pressure e I want to break free, mesclando histórias contadas e cantadas para divertir a garotada, que também é convidada para participar do espetáculo.

Este musical,  além de encantar todas as gerações, aborda de forma sutil e divertida temas complexos como Bullying e empoderamento feminino, haja vista o surgimento repentino no enredo de uma Frederica Mercury, vivida pela atriz Mandy Pinheyro (Amanda Pinheiro).
Queen Live Kids surgiu após outros projetos que unem teatro, criançada, famílias e rock’n’roll terem passado pelo Teatro UMC, sempre se tornando sucessos de público e conquistando SP a partir da Vila Leopoldina.
Nesse sentido, a curadoria do teatro vem se reinventando periodicamente com o objetivo de manter em sua programação espetáculos diferenciados e que tragam à tona da produção cultural paulistana grupos teatrais e musicais que possuam trabalhos inovadores.


QUEEN TRIBUTE BRASIL
A banda foi formada por integrantes que em 1991 formaram a primeira banda cover de Queen no Brasil. Nessa época, a banda recebeu o apoio da gravadora EMI e de fãs clubes.
Desde então, a banda já iniciava suas turnês passando por vários estados do país, inclusive encontros anuais como “Queen’s day” e o “Freddie for a Day”.
Em 1992 Brian May (guitarrista do Queen), ao passar pelo Brasil em turnê de seu álbum solo “Back to light” elogiou pessoalmente as cópias das gravações de shows que recebeu da banda.
 A banda Queen Tribute Brasil integrará este projeto ao lado da Mov Produções Culturais e do Teatro UMC.


O sucesso de Queen Live Kids é tão grande que atores consagrados da Rede Globo já assistiram o espetáculo, inclusive a cantora Wanessa Camargo, que curtiu o show com os filhos, quando o espetáculo passou pelo Rio de Janeiro!
Passando por São Paulo, Jundiaí, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, Queen Live Kids é sucesso por onde vai! E você, vai ficar de fora? Garanta já os seus ingressos e curta o melhor do rock para crianças!!
 

REPERCUSSÃO E MATÉRIAS SOBRE QUEEN LIVE KIDS

GÊNERO: Show
CLASSIFICAÇÃO: Livre
DURAÇÃO: 90 Minutos
DATAS:
06 de Outubro
13 de Outubro
17 de Novembro
22 de Dezembro
SEMPRE ÁS 15H
INGRESSOS: R$ 70,00 (Inteira) / R$ 35,00 (Meia)
LOCAL: Teatro UMC – Av. Imperatriz Leopoldina, 550, São Paulo – SP.
BILHETERIA: (11) 2574-7749
VENDAS ONLINE: ingressos.teatroumc.com.br

Queen Live Killers - Teatro UMC



Após o sucesso com o espetáculo Queen Live Kids, a Mov Produções em parceria com a banda Queen Tribute Brasil, lança novo espetáculo, agora voltado para o público adulto, homenageando Freddie Mercury e seus companheiros do Queen. O espetáculo estreou em 17 e 18 de maio no teatro Clara Nunes, Rio de Janeiro. Em 27 de julho estará no Teatro UMC em SP.
Neste musical, uma grande e competente banda irá relembrar as cenas antológicas da banda, verdadeiros momentos históricos do rock mundial vividas pela banda QUEEN.
A Queen Live Killers irá relembrar os principais momentos “ao vivo” protagonizados por Freddie Mercury e seus companheiros de banda: O início da carreira em Londres, o show no estádio do Morumbi em 1981, a apresentação no Live Aid, a vinda para o Rock in Rio, a gravação do DVD no estádio de Wembley.
Em muitas arenas do mundo todo de 1979 até 1991, milhares de pessoas acompanharam ao vivo os concertos realizados pela banda Queen, vibrando e se emocionando a cada momento.

Freddie Mercury, Brian May, John Deacon e Roger Taylor, sem sombra de dúvida, encantaram gerações. Esta formação, infelizmente, nunca mais reunirá novamente. Estes quatro grandes heróis do rock mundial jamais estarão juntos em um estádio para tocar o melhor do rock’n roll já criado.
Por isso, a Queen Live Killers  irá resgatar um pouco do que de melhor o Queen original fez ao vivo.

PROMOÇÃO: QUEM TROUXER 1Kg DE ALIMENTO OU 1 BRINQUEDO EM BOM ESTADO NA BILHETERIA PAGA SOMENTE R$ 25,00.

GÊNERO: Show
CLASSIFICAÇÃO: Livre
DURAÇÃO: 90 Minutos
DATAS: 07 de Setembro às 21h30 / 08 de Novembro às 21h30 / 20 de Dezembro às 21h
INGRESSOS: R$ 60,00 (Inteira) / R$ 30,00 (Meia)
LOCAL: Teatro UMC – Av. Imperatriz Leopoldina, 550, São Paulo – SP.
BILHETERIA: (11) 2574-7749
VENDAS ONLINE: ingressos.teatroumc.com.br

quarta-feira, 4 de setembro de 2019

Turma da Mônica Laços quadrinho e filme





            Nos últimos tempos tem sido meio complicado para nós ir ao cinema com a frequência que gostaríamos, por isso só neste final de semana que passou conseguimos assistir Turma da Mônica – Laços. E foi demais!

            Em 2013, quando saiu a Graphic MSP que inspirou o filme, obra-prima dos irmãos Caffagi, escrevi a resenha da qual reproduzo a maior parte abaixo:

            Maravilhosa!!!



            Poderia realmente terminar esta resenha aqui, e notem, caros leitores, que mesmo essa exclamação não é nem de longe suficiente para fazer justiça a Turma da Mônica – Laços, o segundo volume do selo Graphic MSP. Depois da extraordinária Astronauta – Magnetar, a Mauricio de Sousa Produções entregou para as mais que competentes mãos dos irmãos Vitor e Lu Caffagi a tarefa de explorar a história do Quarteto principal do gênio.

            Outros poderiam se amedrontar com o tamanho descomunal da responsabilidade, mas como o próprio Mauricio explica no prefácio, Lu e Vitor realizaram um trabalho magnífico com um carinho e atenção que só se pode dedicar aos melhores amigos. O resultado é primoroso, absolutamente belíssimo e emocionante! Vitor ficou com a tarefa de desenhar a história principal com a turminha em seus tradicionais sete anos, ao passo que Lu mostrou os personagens em flashback.

            E por sinal, os traços de uma delicadeza impressionante dela têm alguma mágica indefinível e impressionante, cativam a primeira vista, e é impossível não se emocionar! No lançamento aqui em São Paulo, aliás, depois de receber o autógrafo de Vitor em meu exemplar foi a vez da Lu, e eu fiquei ali ao lado vendo-a fazer sua arte, simplesmente maravilhado com sua técnica. E consegui ainda o autógrafo do editor Sidney Gusman, mordam-se de inveja!

            Tenho que destacar ainda este vídeo, em que os irmãos pela primeira vez têm contato com o resultado de seu trabalho. A reação da Lu é emocionante!





            Falei acima de melhores amigos, amizade, e esse é o tema de Laços. A trama gira em torno do desaparecimento do Floquinho, e da busca movida por Cebolinha, Cascão, Magali e Mônica para encontrá-lo. A HQ tem um delicioso sabor de anos 80, com várias referências as quais Goonies e Conta Comigo são as mais evidentes.

            Mas há outras, e quando li “guerreirooos...”, fiquei absolutamente pasmo, e com um sorriso de orelha a orelha no rosto!

          Ah, a cena das bicicletas, claro, tem muito de um certo inimigo da Má, além de um triste momento no bosque que evoca uma das mais antológicas séries de tirinhas de Calvin & Haroldo, de outro gênio dos quadrinhos, Bill Watterson.

            No começo da trama, vemos Cebolinha e Cascão fugindo da Mônica após a falha em outro plano “infalível”, e no caminho deles topamos com Magali, Seu Juca, Xaveco e outros personagens. As próprias fantasias dos dois amigos evocam os Garotos Perdidos, que era o título provisório do livro. Só que as coisas começam a se complicar quando Cebolinha e Cascão chegam na casa do primeiro tomada de gente, e a mãe lhe explica que o Floquinho sumiu. A cena sem um único balão de diálogo do pai chegando em casa tarde da noite após uma busca infrutífera é de cortar o coração.

            Na manhã seguinte, quem aparece para animar o combalido Cebolinha? Cascão e as meninas, claro. Depois de reparar na estante do quarto do Cebolinha tem início a busca, o encontro com o grupo adversário de garotos mencionado acima, e as primeiras pistas apontando para um longínquo parque.

            Muitas aventuras depois, a turma acaba passando a noite na floresta. Em um dos momentos mais deliciosos da história, em torno de uma fogueira cada um conta uma história. De novo a Lu nos encanta quando chega a vez da Mônica, que descreve como o pai dela certa vez adaptou histórias que a avó dele contava... sim, é uma narração do próprio passado do Maurício de Sousa! É absolutamente impossível não se apaixonar e se maravilhar pelos traços da Lu, que fez inclusive uma pesquisa sobre as roupas de época, como está narrado nos extras do livro!

            A turma vai seguindo as pistas, e na noite seguinte finalmente encontra o Floquinho, no momento mais sombrio e perigoso da trama. Perigoso mesmo, a ponto de sequer a força da Mônica ser suficiente. Mas felizmente aqui o plano infalível dá certo, e na cena seguinte o desespero e agonia dos pais termina com um telefonema do Cebolinha para a mãe. Logo retornamos à tarefa de fugir das coelhadas da Mônica depois de mais um plano infalível.

            Turma da Mônica – Laços, é para ler, reler, reler de novo, e se emocionar sempre com essa obra-prima dos irmãos Caffagi. Por sinal tenho que recomendar os blogs deles, o Punyparker do Vitor onde ele desenvolve um excelente trabalho com Valente, e o Los Pantozelos, onde podemos voltar a nos apaixonar pelo traço incomparável da Lu!



            Ainda sobre Laços, como sonhar ainda não custa nada, depois que nos amarramos na história ficamos imaginando como seria uma adaptação em filme. Para mim, seria Oscar de Animação fácil.
            Parabéns Lu, Vitor, Sidney e a todos os envolvidos nessa maravilhosa obra-prima, e mais uma vez obrigado ao grande gênio e mestre Maurício de Sousa! Evocando outra magnífica história, O Homem que Gostava de Contar Histórias, de Edson Itaborahy, do primoroso álbum Ouro da Casa, o mundo de Mauricio de Sousa não substituiu o nosso, mas com certeza o tornou incomparavelmente melhor!
            Sei que meu mundo fica melhor e mais colorido cada vez que leio e releio Laços.

            Bem, ficou muito claro nesse texto, publicado anteriormente no site Aumanack e agora um pouco editado, o quanto amei Laços. Por isso, quando chegaram as primeiras notícias de que a HQ teria uma adaptação cinematográfica, a expectativa só aumentou. E foi crescendo, crescendo, atingindo níveis nem um pouco saudáveis a cada novidade e trailer divulgado. Ah, os trailers! Nada menos que emocionante ver neles cenas da magnífica HQ de Lu e Vitor!
            Neste último domingo, graças ao Now da Net, finalmente conferimos Turma da Mônica - Laços. E foi demais!

Galeria de fotos:

            As necessárias mudanças e adaptações, o que sempre acontece quando uma obra literária ou quadrinística é transposta para o cinema, ficaram sensacionais! A apresentação dos demais personagens durante a fuga de Cebolinha e Cascão da fúria da Mônica ficou sensacional, assim como todo o drama do desaparecimento do Floquinho.
            Traz uma emoção muito especial quando a Turma está espalhando os cartazes para tentar localizar o cãozinho, e quando param na banca de jornais vemos o próprio Mauricio de Sousa conversando com eles! E claro, ao fundo vemos várias das edições das revistas, incluindo as próprias Graphics MSP (e Laços, claro!).




            Outras participações mais que especiais podem ser conferidas quando a Magali está conversando com o florista, que é nada menos que o editor Sidney Gusman! E aquele casal de clientes são Lu e Vitor Caffagi, os autores da HQ Laços!
            Falando em participação especial, o Louco (Licurgo Ourival Umbelino Cafiaspirino de Oliveira, por favor!) vivido por Rodrigo Santoro, foi um acréscimo nada menos que perfeito, com um diálogo surreal com o Cebolinha que não fica nada a dever às histórias sempre surreais desse maravilhoso personagem. Dá até para sonhar com a adaptação da Graphic dele, que nos faz chorar toda vez que lemos!




            As mudanças sobre as pistas que a Turma segue, e quanto as motivações do vilão, foram muito bem feitas deixando o filme com uma identidade própria. E o que realmente amamos foi o confronto final, com cada um da Turma precisando enfrentar seus maiores temores e idiossincrasias. Isso mostra o quanto os personagens cresceram ao longo da trama, um elemento clássico e sempre necessário em qualquer história.
            Ver finalmente a Turminha mais amada do Brasil em um filme muito fiel a uma de suas melhores histórias em quadrinhos foi emocionante, nos fazendo sentir parte do Bairro do Limoeiro! Turma da Mônica – Laços é para rever e rever, assim como a HQ é para reler e reler. Parabéns a todos pela estupenda realização, e nosso amigo Sidney Gusman já divulgou uma foto mostrando uma reunião na MSP cuja pauta foi a versão de cinema de Lições, segunda Graphic dos Caffagi.
            Já estamos contando os segundos para assistir!

quinta-feira, 29 de agosto de 2019

Tributo a Stan Lee - Teatro UMC





            No domingo, dia 25 de julho, tivemos o enorme prazer de conferir a apresentação da Banda Sinfônica do Conservatório Villa Lobos no Teatro UMC. O tema do concerto não poderia ser mais nerd: Tributo a Stan Lee.

            O legendário líder da Marvel Comics (28-12-1922, 12-11-2018) exerceu e exerce uma influência extraordinária não somente nos quadrinhos, mas em toda a indústria cultural, e se tornaram marca obrigatória nos filmes do Universo Cinematográfico da Marvel as suas sempre aguardadas aparições:

            Stan Lee faz falta, mas será sempre lembrado! Especialmentepor suas ideias, e ninguém melhor que ele mesmo para falar a respeito:




            E para celebrar sua vida e sua carreira, a Banda Sinfônica do Conservatório Villa Lobos tocou, no Teatro UMC, vários dos temas dos filmes da Marvel! O começo não poderia ser mais alto astral, com Guardiões da Galáxia!

Tema do Filme Guardiões da Galáxia, Banda Sinfônica do Conservatório Villa Lobos em outra
 apresentação.


            Depois apreciamos e aplaudimos muito vários outros temas, como Thor, Homem de Ferro, Homem-Aranha... e confesso que brincamos um pouco com este outro tema:





            Homem-Formiga, X-Men, Doutor Estranho, Pantera Negra (WAKANDA!!!) Capitão América (um de meus preferidos) e Vingadores vieram a seguir (mas não nessa exata ordem, bem entendido).

            E sim, para o Renato: Team Captain, always!!!


            Para a Marcia: WAKANDA FOREVER!!!



            Uma grande surpresa foi quando a banda, sob a batuta do maestro Ederlei Lirussi, tocou os temas da série de 1966 de Batman, e também do clássico Superman de 1978!

Tema Batman e Superman - Banda Sinfônica Conservatório Villa Lobos



            A explicação é simples: por volta do ano 2000 Stan Lee criou para a DC suas versões de Batman, Superman, Mulher-Maravilha e outros heróis da casa concorrente. O resultado divide opiniões, mas é sem dúvida um marco na carreira do mestre, e sem dúvida merece ser lembrado na homenagem.

            E sim, o tema inigualável de John Williams para o Superman continua sendo um dos mais bonitos de todos os tempos, e a lembrança daquele filmaço com o saudoso Christopher Reeve (que eu vi no cinema, denunciei a idade agora) foi muito emocionante!

            A apresentação ainda contou com a presença do jornalista Marcelo Duarte, apresentador do famoso programa de rádio Você é Curioso, além de autor de várias edições do Guia dos Curiosos. Marcelo apresentava alguns fatos pouco conhecidos sobre a carreira de Stan Lee, e fez várias brincadeiras com o maestro Ederlei e o público. O regente chegou até a conduzir a banda com a garra do Wolverine, e o Martelo de Thor!

            Felizmente ele se mostrou digno deste último, claro.

            Foi uma noite inesquecível, que adoraria repetir. É sempre emocionante ver os temas de filmes sendo executados ao vivo, e para quem ainda questiona “por que música em filmes”, experiente assistir a qualquer produção em silêncio.

            Perde a graça, né?

            O Maestro Ederlei, responsável pela Banda Sinfônica do Conservatório Villa Lobos ainda faz outras apresentações, e entre os temas estão Star Trek (YES!!!), Star Wars, temas de seriados (inclui Arquivo-X, uhu!).

Já conversamos com o pessoal do Teatro UMC, e brevemente traremos mais informações a vocês. Fiquem com mais um pouco desses talentosos artistas:

Tema Star Wars - Banda Sinfônica Conservatorio Villa Lobos



            O Tributo a Stan Lee foi um espetáculo maravilhoso, e quero ver de novo! Mais que recomendado!

            Lá no Teatro UMC ainda tem muita coisa boa, como Tributo a Queen, Queen for Kids (onde falam um pouco sobre bulling e respeito), Sítio do Pica Paul Amarelo e muitos outros.

            Super tranqüilo de chegar, ali na Vila Leopoldina, conseguimos vaga na rua mesmo, lanchonete lá dentro com uma sopinha que ajudou a espantar o frio e o pessoal de lá é muito atencioso.

Em breve vai ter programa na Rede Premium TV sobre esse Tributo fantástico!