segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

2° Festival de Queijos de São Paulo junto com o 1° Festival do Doce de Leite


Muito queijo e doce "raiz" irão homenagear SP nos dias 26 e 27/01


Estas duas grandes paixões nacionais não poderiam ficar de fora das comemorações do aniversário da maior cidade da América Latina. Vários tipos de queijo – além do Canastra – em receitas inéditas e muito doce de leite farão a festa dos amantes dessa dupla.Som do DJ top das baladas Dinho Garcia. Em local coberto, amplo e climatizado, com entrada gratuita.





Um grande sucesso de 2018 chega nos próximos dias para abrir o calendário dos festivais gastronômicos mais amados e animados de São Paulo e brindar os 465 anos da capital paulista.  Atendendo pedidos, o Espaço As Meninas e a Charrua Produções promovem o 2° Festival de Queijos de São Paulo junto com o 1° Festival do Doce de Leite, nos dias 26 e 27 de janeiro, das 12h às 19h, na Rua Joaquim Távora, 605 - Vila Mariana (a poucos metros da estação Ana Rosa do metrô). Links https://www.facebook.com/events/2053210611410186/ e https://www.facebook.com/events/2204248993124692/


"Esta será mais uma dupla de sucesso dos nossos eventos, e nesta edição, o Festival do Queijo será maior do que o anterior, com mais produtores de queijos artesanais. E nada melhor para acompanhar esse produto fantástico do que o doce "raiz" mais conhecido do público: o doce de leite. A combinação dos dois é irresistível – os loucos por queijo e os malucos por doce de leite não podem perder! Vamos fazer uma bonita festa!", comemora Elaine Vilela, sócia-proprietária do Espaço As Meninas Feiras e Eventos.

A estrela continua sendo o Queijo Canastra, um tipo brasileiro de origem e produção em Minas Gerais, na região da Serra da Canastra há mais de duzentos anos. Ele é primo distante do queijo de São Jorge, de Açores, Portugal, e foi trazido pelos imigrantes da época do Ciclo do Ouro.
Em maio de 2008, esse queijo minas artesanal foi reconhecido como Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro pelo Instituto do Patrimônio Histórico Nacional (Iphan). Seis anos antes, o Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha) já havia concedido o título de Patrimônio Imaterial ao laticínio. O queijo minas artesanal é o sustento de mais de 30 mil famílias em mais de 600 municípios do Estado.
A grande produção de queijo mineiro - cerca de 220 mil toneladas ao ano – ajuda o Brasil a manter o posto de 6º maior produtor de queijo do mundo. Pouco mais da metade de todo o queijo consumido em solo nacional vem de Minas Gerais. Os frequentadores do Festival terão a oportunidade de apreciar e adquirir variados tipos desta iguaria.
Doce de leite – o doce "raiz"

Existem algumas versões para o aparecimento do doce de leite. Uma delas é que teria surgido na Argentina, em 1829, durante um encontro entre os generais Lavalle e Juan Manuel de Rosas para estabelecer um acordo para a convocação de eleições gerais. A cozinheira do acampamento teria esquecido a panela de ferro com leite e açúcar no fogo. A mistura se transformou em uma pasta e, ao experimentar, um soldado teria elogiado bastante o sabor.
De um desastre culinário surgiria um dos doces mais saborosos e admirados em todo o mundo, especialmente no Brasil. Por aqui, o Estado de Minas Gerais é um tradicional produtor da delícia. Outra versão é que já existia esse produto no século XVIII, no Chile.

"A longa tradição gastronômica do estado de Minas Gerais é capaz de "tirar qualquer um dos trilhos”, e os paulistas amam essas duas maravilhas de paixão. Por isso, elegemos os dois produtos para fazer um festival de arrasar: queijo e doce de leite. Vamos brindar a SP, terra que me acolheu e a tantas outras pessoas, em grande estilo", destaca Elaine.

Cardápio irresistível
Além dos queijos artesanais “in natura”, como Canastra, Frei Rosário (maturado em caverna), maturados com cachaça e os com cerveja na massa, grana pândano, brie, camembert, santo casamenteiro, azul de minas, queijo de cabra e recheado com requeijão, os trufados (recheados, únicos no Brasil a ganhar medalha no Prêmio Queijo Brasil) os queijos Trem Bom de Minas, Vila Minas, Bom da Fazenda, Capão Redondo, Ouro Fino, Fazenda Campo Belo, Mantiqueira da Serra, Vialat, Cataua, Queijo Bom, Queijos Mamma, Jersey de Itu, Rancho da Vila, os temperados, coalho e meia cura, haverá opções variadas e saborosas com o saboroso ingrediente, como: macarrão no queijo cremoso, raclete de queijo, pão de queijo e brigadeiro de queijo, entre outros.
Ainda no cardápio, massas, molhos, antepastos e carnes artesanais; hambúrgueres com queijo canastra, lanche de pernil e linguiça, pasteis, coxinhas, batata rosti, porções, paella caipira, galinhada, baião de dois, pasta de trufa, pasta de alho, trutas defumadas, queijinho de pipoca, bolinho de polenta, pães, patês e tortas salgadas. E tem mais: embutidos, como presunto parma, salame, copa, panceta, lombo e linguiça, tudo artesanal com SIF e molho de pimenta.
Na parte de doces: doce de leite Viçosa, doces da Canastra, bolos confeitados, bolos, waffel holandês com gelato italiano, alfajor, suspiro, brownie de doce de leite, morango encapado de brigadeiro de doce de leite, cookies com recheio de doce de leite, torta de Nutella com ninho, limão, amêndoas com brigadeiro, queijo com doce de leite, cheesecake de doce de leite e paçoca, canolli, brigadeiros gourmet, brigadeiros de doce de leite, choquito e romeu e julieta, sonho de doce de leite, palha italiana, pavês, pastel doce, mini churros, raspadinha, goiabinha e mantecal caseiros, geleias, biscoitinhos e doces de Minas, entre outros.
Para beber, opções de chope e cerveja com a Cervejaria Camilos, Cervejaria Schornstein, Cervejaria DNA Bier, Cervejaria Imperatriz e La Beer Cervejaria, além de cachaças artesanais, vinhos, suco de uva, café orgânico Coronel, café caipira, café Nespresso, refrigerantes e água.
Para animar, o som fica a cargo do consagrado DJ das noites paulistanas Dinho Garcia, com a melhor seleção de Rock dos Anos 80/90. É um programa de lazer completo para as famílias paulistanas. E tudo com entrada gratuita!
Responsabilidade Social
Mantendo a parceria de vários anos com o Centro de Convivência Início de Luz, que abriga uma creche, serão arrecadados alimentos não perecíveis para a entidade sem fins lucrativos, que cuida de mais de cem crianças carentes das regiões do Cambuci e centro da capital paulista.
 Selo Paixões Paulistanas
2º Festival de Queijos de São Paulo e o 1° Festival de Doce de Leite do Espaço As Meninas, têm a certificação dos eventos e ações idealizados sob medida para o gosto dos paulistanos. Para criar o selo e o calendário de eventos, os organizadores fizeram uma vasta pesquisa e identificaram os temas que mais atraem o público da cidade de Sã o Paulo, terra de todos os gostos e sabores. Este selo está produzindo uma variedade de festivais inéditos que acontecem desde 2012 e continuarão ao longo de 2019.
 Serviço
 Entrada Gratuita
 2º Festival de Queijos de São Paulo e o 1° Festival de Doce de Leite
 Data: 26 e 27 de janeiro (sábado e domingo)
 Horário: 12h às 19h
 Local: Rua Joaquim Távora, 605, Vila Mariana – próximo ao metrô Ana Rosa. Local amplo, seguro e coberto.

segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

Doug Jones chega ao Brasil em menos de um mês!

Fãs trazem ator Doug Jones ao Brasil para celebrar a estreia da nova temporada de Star Trek: Discovery





Convenção para cerca de mil trekkers será no Teatro Eva Wilma, em São Paulo, em 2 de fevereiro.
São Paulo, 7 de janeiro de 2019 – O segundo ano de Star Trek: Discovery estreia na Netflix em 18 de janeiro, e os fãs brasileiros terão mais um motivo para comemorar: o ator Doug Jones, que na série interpreta o comandante Saru, primeiro-oficial da USS Discovery, virá ao país para um evento trekker, organizado pelo fã-clube NovaFrota.

StarCon - Os Mundos de Doug Jonesacontece no dia 2 de fevereiro, no Teatro Eva Wilma, em Sâo Paulo, e vai celebrar não só a nova temporada de Discovery – que terá seus novos episódios exibidos semanalmente às sextas-feiras no serviço de streaming –, mas também a incrível carreira deste versátil ator, astro de filmes premiados como A Forma da Água e O Labirinto do Fauno. Ele também viveu outros personagens importantes do mundo da cultura pop no cinema, como o Surfista Prateado e Abe Sapiens, na franquia Hellboy.

“Mal posso esperar para ir ao seu lindo país pela primeira vez na minha vida agora em fevereiro”, disse Doug Jones, em vídeo gravado para os fãs brasileiros pouco antes do término das filmagens da segunda temporada de Discovery.



É a primeira vez que um ator do elenco principal de uma série de Star Trek em produção visita o Brasil para um encontro com os fãs. “Será uma oportunidade única para os fãs conhecerem este ator fantástico, tirarem fotos com ele, pedirem autógrafos e até mesmo fazerem perguntas sobre o episódio exibido no mundo inteiro pela primeira vez no dia anterior!”, diz Luiz Navarro, presidente da NovaFrota. “Temos certeza de que será um dia inesquecível para todos que estiverem lá com a gente.”

São esperados cerca de mil fãs de Star Trek, ficção, fantasia e da miríade de papéis que Doug Jones já protagonizou. Os ingressos (a partir de R$ 29,90), assim como a programação completa do evento, estão disponíveis no hotsite: https://starcon.novafrotabr.com.

O evento, que tem apoio da Sony/Paramount, FlyTour e Hotel Meliá Paulista, contará com atividades num auditório principal e num palco secundário, além de lojas, setor de alimentação e sessões de autógrafos e fotos com Doug Jones. Para entusiastas docosplay, haverá um concorrido concurso, além de muitas outras atrações, como um painel com os dubladores de Star Trek: Discovery e a apresentação de material exclusivo do lançamento da primeira temporada da série em home video.

É a segunda StarCon a ser realizada pela NovaFrota, versão revitalizada do antigo fã-clube trekker Frota Estelar Brasil. Na edição anterior, realizada em agosto de 2018, o grupo trouxe René Auberjonois, o Odo de Star Trek: Deep Space Nine. Antes disso, ainda como Frota Estelar Brasil, o fã-clube foi responsável pelas vindas ao país de George Takei (Sulu), Walter Koenig (Chekov) e Leonard Nimoy (Spock), todos da série clássica de Star Trek, produzida entre 1966 e 1969.


Sobre a StarCon
Onde: Teatro Eva Wilma (R. Antônio de Lucena, 146, Tatuapé, São Paulo, SP)
Quando: 2 de fevereiro de 2019, das 9h às 20h
Ingressos: R$ 29,90 - R$ 299,90



Sobre a NovaFrota
A NovaFrota é a retomada do antigo fã-clube Frota Estelar Brasil, que já foi a maior congregação de fãs de Jornada nas Estrelas e ficção científica na América Latina. Mais informações sobre o clube, que edita uma revista bimestral além de outros materiais para os fãs e se especializa na realização de eventos internacionais, podem ser encontradas em http://novafrotabr.com.

quinta-feira, 3 de janeiro de 2019

Resenha: J. R. R. Tolkien: O Senhor da Fantasia



              Nesta quinta-feira, 3 de janeiro de 2019, os fãs e o mundo celebram o aniversário de 127 anos de nascimento de John Ronald Reuel Tolkien. O autor de O Hobbit, O Senhor dos Anéis, O Silmarillion e de mais inúmeros trabalhos que marcaram e seguem marcando e influenciando gerações permanece como um fenômeno e exemplo máximo da literatura de fantasia, e para homenageá-lo nesta data apresentamos uma resenha sobre J. R. R. Tolkien: O Senhor da Fantasia, excelente biografia escrita por Michael White e publicada pela Darkside Books.

            O belíssimo livro tem uma apresentação irresistível, com capa aveludada e aparência envelhecida, chegando ao ponto de os cantos das páginas serem escurecidos. Detalhes em dourado em escrita élfica na capa e contracapa são complementados no interior pela presença de um pôster que em uma das faces traz uma das fotos mais conhecidas do Professor, enquanto no verso o que vemos é o mapa da Terceira Era da Terra-Média.

            O livro já arrebenta com nosso coração de fã no primeiro capítulo, descrevendo uma cena de Tolkien chegando em casa de bicicleta no tempo em que sua filha Priscila tinha cinco meses de idade, ele faz um agrado no bebê, cumprimenta a esposa Edith e segue para seu escritório. Lá, se dedica à maçante tarefa de corrigir provas de alunos, o que lhe garantia um muito necessário pagamento extra. No meio do trabalho ele encontra uma folha de papel em branco, e começa a devanear. E é desse devaneio que uma frase importantíssima surge em sua mente, e ele a escreve no papel:

            “Em uma toca no chão vivia um hobbit...”.

            Esse primeiro capítulo segue com a descrição de como seu pai, Arthur Tolkien, foi trabalhar em Bloemfontein, África do Sul, o romance com Mabel Suffield e as dificuldades do casal. Em 3 de janeiro de 1892 nascia John. Em 17 de fevereiro de 1894 nascia Hillary, irmão de John, e em 1895, diante das dificuldades enfrentadas na África do Sul, Mabel e os filhos rumaram para a Inglaterra. Arthur infelizmente contraiu febre reumática, e acabou falecendo em 1896.

            Esse primeiro capítulo descreve como Mabel tentou criar os filhos da melhor forma possível em Sarehole. Os dois irmãos percorriam os arredores dessa cidadezinha arborizada criando mundos imaginários, habitados por feiticeiros malvados, monstros, vilões e heróis. Mabel incentivava os pequenos de todas as formas, mas a família teve que se mudar em 1900 para Birmingham. Infelizmente Mabel faleceu em 1904. Eles já conviviam com Padre Francis, que fora quase um pai para Tolkien ao longo de sua infância e juventude.


            O segundo capítulo fala da juventude de Tolkien, como conheceu Edith, e seu progresso nos estudos. Importantíssimo e influente fator em sua vida foi a amizade, enquanto estudavam no King Edward's School, em Birmingham, com Christopher Wiseman, Robert Gilson e Geofrey Bache Smith. Eles formaram o Tea Club, Barrovian Society, ou T.C.B.S., como o grupo ficou conhecido.

            Os estudos de Tolkien em Oxford e o relacionamento com Edith tomam conta do terceiro capítulo. No seguinte, porém, somos transportados aos dramáticos tempos da Primeira Guerra Mundial e as dificuldades desse período que afetavam toda a população. Porém mesmo em tempos sombrios algo extraordinário pode florescer, e foi assim que Tolkien começou a anotar ideias de sua futura mitologia, a pedra fundamental do que se tornaria O Silmarillion.

            O horror da guerra, contudo, preenche esse capítulo, e entre as batalhas Tolkien teve muita sorte em não ser ferido com gravidade, apesar de ser acometido por uma infecção bacteriana mais conhecida como febre das trincheiras. Em novembro de 1916 o futuro autor de O Senhor dos Anéis foi retirado do campo de batalha. Tratado em Birmingham, ele foi depois transferido para Great Haywood para se restabelecer. Edith veio tratar do já então marido, e ficou grávida nesse período, que não foi fácil para Tolkien, pois a doença ia e voltava. Nesse meio tempo, em novembro de 1918, a então chamada Grande Guerra finalmente terminou.

            No capítulo 5, Mundos Fantásticos, podemos nos maravilhar com a descrição sobre como o conceito do que viria a ser a Terra-Média surgiu, baseado nos estudos e criações linguísticas de Tolkien. Essa parte analisa as obras que inspiraram o Professor, e até mesmo os dois mestres pioneiros da ficção científica, Julio Verne e H. G. Wells, são mencionados. A experiência no conflito mundial teve decisiva influência, como a descrição das guerras dos elfos contra Morgoth em O Silmarillion mostra, uma confrontação que, mesmo se os Filhos de Ilúvatar poderiam vencer, cobraria um preço alto demais.

            Os capítulos 6 e 7 detalham a intensa vida acadêmica de Tolkien, e entre os fatos surpreendentes que aprendemos está o gosto do Professor por se fantasiar de viking e assustar os vizinhos (podem conferir na página 111). A amizade com C. S. Lewis é descrita no capítulo 8, bem como o surgimento de outro grupo fundamental na vida do escritor, os Inklings. Já o 9 tem o título A Caminho de O Hobbit, precisa dizer mais? Estão ali suas ressalvas contra a tecnologia do mundo moderno, e sua afirmação deliciosa de que era um hobbit! Mas essa humanidade que o Professor criticava aprontou mais uma das suas, e o lançamento de O Hobbit em 1937 já encontrou o mundo com a sombra que o cobriria dois anos depois, até 1945.

            A Guerra e o Anel, o capítulo 10, retrata esse período, bem como as dificuldades do casal Tolkien com alguns de seus filhos já participando da Segunda Guerra Mundial. Porém o sucesso de O Hobbit já fazia a editora George Allen and Uwin pedir ao Professor uma sequência, “Um Novo Hobbit”. O Professor insistiu muito para a publicação de sua história favorita, O Silmarillion, que já estava praticamente pronto na época, mas diante do que amigos e conhecidos lhe informavam (e nisso o livro aponta que a influência de Lewis foi fundamental) ele se decidiu por outra história, que também nesse período já tinha seu primeiro capítulo, Uma Festa Muito Esperada, pronto! Vale a pena citar outro trecho:


            “Mas ele logo se deu conta de que a Terra-Média era um lugar muito maior do que havia sido revelado para ele e seus leitores em O Hobbit. A Terra-Média tinha sua história e geografia, havia muitas regiões estranhas e maravilhosas que existiam entre a Floresta das Trevas e as Montanhas da Névoa. Mas, sobretudo, Tolkien já havia criado a magnífica mitologia, história e geografia, muito do passado lendário e a estrutura auxiliar para uma pequena fábula: já havia escrito O Silmarillion. E claro, quando Tolkien se deu conta de que podia recorrer a este panorama grandioso, concluiu que essa nova fábula, O Senhor dos Anéis, não precisava ser apenas uma pequena história envolvendo os mesmos personagens de O Hobbit. Se ele tinha à mão um universo completo para se divertir, por que se contentar com uma pequena parte dele?”.

            Arrepia, não?

            Não foi um trabalho fácil, nem de longe, e a descrição de como o Professor quase foi engolido pela inacreditável complexidade de sua obra e seu perfeccionismo em termos de detalhes é impressionante e comovente. Os capítulos 11 e 12 seguem com essa batalha, a publicação de O Senhor dos Anéis, as crescentes desavenças com C. S. Lewis, a desilusão com o mundo moderno, e como a obra mais conhecida do Professor se revela como uma crítica ao que ele via de errado com a sociedade. O capítulo ainda descreve não somente o desprezo de Tolkien pelo nazismo, como a profunda desconfiança contra a Rússia comunista. Sem surpresas, aliás.

            O capítulo 13 descreve os últimos anos do Professor, enquanto no 14 somos brindados com as ácidas palavras de críticos contra sua obra, tornada mundialmente ainda mais famosa com os filmes de Peter Jackson e a subsequente explosão do interesse por seu inigualável trabalho. Não por acaso, esse último capítulo tem o título A Lenda Vive!

             Para arrematar O Senhor da Fantasia, o material extra contém algumas fotos sobre a vida do Professor, uma cronologia dos fatos de sua trajetória, uma extensa bibliografia, sites e um índice. Uma obra sensacional e emocionante, que não pode faltar na estante dos fãs do maior contador de histórias de todos os tempos.


- Mandou bem, Darkside!
https://www.darksidebooks.com.br/

domingo, 30 de dezembro de 2018

SUPERA: exercícios para o cérebro




Você possivelmente já passou por alguma das mais de 300 unidades laranjinhas do SUPERA espalhadas pelo Brasil. Mas o que vem a ser essa “ginástica para o cérebro” que eles afirmam praticar? Já sabemos que é importante ter uma boa alimentação, se exercitar e tal, mas como exercitar o cérebro?

Conforme a divulgação deles:

“O SUPERA é um curso diferente de tudo que você já conhece. Com apenas uma aula semanal de duas horas, você conquista  uma mente saudável, com mais concentração, raciocínio, memória, criatividade e autoestima. Estas habilidades melhoram o desempenho na escola, alavancam a carreira e garantem mais qualidade de vida. Encare este desafio e experimente uma forma incrível de viver. Nossa metodologia não tem limite de idade: todo mundo pode viver esta emoção.”

            Claro que você pode clicar aqui para visitar o site deles e agendar uma aula grátis, mas que tal começar com algumas dicas que eles passaram para exercitar o cérebro em casa e sem ser resolução de ano novo! É para começar JÁ!

            Além das dicas que eles dão no texto, que tal segui-los no Instagram @metodosupera e @supera.marajoara participar dos desafios? Alguns deles estão aqui na matéria.
  
 Quando conheci o SUPERA, lembrei do poema MUDE que deixo aqui para vocês.


 

 

Como exercitar o cérebro em casa

Conheça exercícios para o cérebro que ajudam a desenvolver habilidades como memória, concentração e raciocínio e podem ser incorporados à rotina do dia-a-dia



Você já sabe que praticar atividades físicas é importante para manter uma boa saúde, mas e o cérebro? Este órgão também pode ser exercitado para melhorar seu desempenho e o melhor: você pode fazer isso em casa, no seu dia-a-dia com atividades chamadas de neuróbicas.

Quando fazemos as mesmas coisas com frequência, é comum ligarmos o piloto automático, pois já conhecemos a atividade. Assim, o nosso cérebro entra na zona de conforto e pode dar margem para algumas reações cognitivas, como falhas de memória, raciocínio lento, problemas de concentração...


A ideia da neuróbica – que funciona como uma atividade aeróbica para os neurônios – é justamente tirar o cérebro da sua zona de conforto, fazendo jus ao seu potencial e assim melhorando as habilidades cognitivas.

A prática envolve desde exercícios simples,  que podem ser feitos em situações diárias, até os desafios mais complexos,  que proporcionam situações improváveis e podem ser feitos por pessoas de todas as idades.


“As neuróbicas estimulam padrões de atividade neurais que criam conexões entre as diferentes áreas do cérebro e fazem com que as células nervosas produzam nutrientes naturais do cérebro, as neurotrofinas, que podem aumentar de maneira considerável o tamanho das dendrites das células nervosas”, explica Solange Jacob, diretora pedagógica nacional do Método SUPERA, rede de escolas dedicadas ao desenvolvimento do cérebro no Brasil.


Segundo ela, para que uma atividade seja considerada “neuróbica”, é preciso desenvolver um ou mais dos seus cinco sentidos em um novo contexto e/ou transformar uma atividade rotineira em algo inesperado e não-trivial.







Como incorporar a neuróbica na rotina diária

Nós podemos praticar exercícios para o cérebro em qualquer lugar: seja em casa, no trabalho, na escola, nos momentos de lazer e até mesmo em momentos de compras no supermercado.  Fazer atividades de maneira não usual é uma nova técnica para melhorar a concentração, treinando a criatividade e inteligência e, assim, realizando um exercício de neuróbica.


Tente fazer um teste fazendo alguns exercícios no seu dia-a-dia. Sugerimos aqui 20 ações diferentes que podem ser feitas em casa e podem proporcionar momentos descontraídos com a família e amigos:

01 – Use o relógio de pulso no braço direito (ou no braço esquerdo, se for canhoto);

02 – Escove os dentes ou escreva em uma folha de papel com a mão contrária da de costume

03 – Ande pela casa de trás para frente; 

04 – Vista-se de olhos fechados;

05 – Estimule o paladar, coma coisas diferentes;

06 – Veja fotos de cabeça para baixo e tente observar cada detalhes que antes lhe passara despercebido;

07 – Veja as horas num espelho ou troque o relógio do pulso que costuma usar;

08 – Faça um novo caminho para ir ao trabalho ou introduza pequenas mudanças nos seus hábitos cotidianos

09 – Converse com o vizinho que nunca dá bom dia.

10 – Comece a trocar o mouse de lado.

11 – Decore uma palavra nova por dia, de seu idioma ou de outro e tente aos poucos introduzi-la em suas conversas de forma adequada.

12 – Folheie uma revista e procure uma fotografia que lhe chame a atenção. Agora escreva 25 adjetivos que ache que a descrevem e/ou ao tema fotografado.

13 – Ao entrar numa sala onde esteja muita gente, tente determinar quantas pessoas estão do lado esquerdo e do lado direito. Identifique os objetos que decoram a sala, feche os olhos e enumere-os.

14 – Quando for a um restaurante, tente identificar os ingredientes que compõem o prato que escolheu e concentre-se nos sabores mais subtis.

15 – Selecione uma frase de um livro e tente formar uma frase diferente utilizando as mesmas palavras.

16 – Monte um quebra-cabeça e tente encaixar as peças corretas o mais rapidamente que conseguir, cronometrando o tempo. Repita a operação e veja se progrediu.

17 – Experimente memorizar aquilo que precisa comprar no supermercado, em vez de elaborar uma lista.

18 – Ouça as notícias na rádio ou na televisão quando acordar. Durante o dia escreva os pontos principais de que se lembrar.

19 – Ao ler uma palavra, pense em outras cinco que comecem com a mesma letra.

20 – Leia atentamente e reflita sobre o texto.



Conseguiu responder a todos os desafios aqui na página? Responda nos comentários!